• Ìyá Ṣọlà

Osanyin - A Essência e os Segredos da Vida na Floresta

Atualizado: Set 17




No Brasil Osanyin (Ossaim) acabou ocupando um papel secundário, um tanto quanto apagado e desbotado, diante de toda a sua grandiosidade e poder.



Você já se perguntou como é o culto a Osanyin em terras Yorùbá?



Hoje você vai ler uma publicação INÉDITA no Brasil sobre a importância, o poder e a organização do Culto a Osanyin na África.



Ele é a divindade da vida, que está presente desde os nossos primeiros passos dentro da Religião Tradicional Yorùbá, que dá a origem a frase popular “Ko si ewe, Ko si Orisa” (Sem folha, sem Orixá), por ser indispensável para todos os rituais de passagem, incluindo as cerimônias fúnebres, para que sejam realizadas corretamente. Um dos Òrìsà com o culto que mais possui segredos em sua ritualística, e que a cada momento se torna mais inacessível a todos aqueles que se dedicam à pratica da Religião Tradicional ou Esin Ibile Yoruba. E se você acredita que essa restrição é apenas para os oyinbo (estrangeiros), é um engano.



A força e poder de Osanyin é comparado muitas vezes com Orunmila, confundido por alguns como escravo do próprio Orunmila. Assim como esta, muitas inverdades foram e vem sendo repetidas acerca do culto a Osanyin. O que faz com que lamentavelmente, e também estrategicamente, torne-se velado o culto dessa divindade, tão primordial, à 2ª instância, o que, dentro da concepção de seus sacerdotes, é fundamental para a preservação e a manutenção de seus conhecimentos, que deve estar apenas sobre o domínio de poucos.



Porém, um sacerdote que não possui um conhecimento mínimo sobre os segredos de Osanyin, com mínimo domínio da utilização de folhas, cascas, sementes e raizes, será impedido de realizar com competência seu sacerdócio.


Osanyin não é apenas um detalhe qualquer, ele é o pó mágico que transforma uma simples pedra de rio em um okuta sagrado de um igba, ele é a chave que transforma o não iniciado em um iniciado, pois sem os elementos da magia de Osanyin, que estão envoltos como um cordão umbilical ao universo da vida na floresta, nada é de fato mágico, sem o poder de dar a vida que Osanyin possui.



A essência da floresta e do seu mais reluzente ou sombrio Universo está relacionada ao Orisa Osanyin e que é apenas uma pequena parte do conhecimento que deve possuir um verdadeiro Olosanyin.



Nos dias atuais há fatores que estão colaborando direta ou indiretamente para que a Tradição de Osanyin se torne inacessível. O impacto civilizatório, as construções de novas cidades que extinguem as florestas, o desmatamento, a extinção e o desrespeito à muitos animais, o desaparecimento de muitas ervas, causados por impactos climáticos e da própria extinção dos animais, têm contribuído para que os reais Olosanyin se afastem cada vez mais para lugares, de difícil acesso, até mesmo para os yorùbás. Talvez seja complexo para alguns compreender que nem tudo esta à venda, pois eles estão acostumados as dificuldades, e priorizam continuar sendo guardiões dos segredos presentes dentro dessa Tradição Ancestral.



O alto comprometimento exigido com o sagrado, o tempo e a prática necessária para o aprendizado, a exigência da preservação dos segredos, a proibição da ostentação em redes sociais e um complexo e rígido código de conduta moral, são também fatores determinantes que provocam um grande desinteresse das novas gerações.



Seguindo esta linha de raciocínio, se seguirmos neste ritmo em poucas décadas podemos estar prestes a extinguir todos os segredos, pois estes são os fatores que hoje dificultam o acesso aos verdadeiros detentores do conhecimento ligados a essa Tradição.



A MEDICINA TRADICIONAL YORÙBÁ – O Lar de Osanyin





Dentro do sistema de crenças, ligados a cultura yorùbá, muitas pessoas, principalmente nas aldeias e nos mercados tradicionais se dedicam à prática da medicina tradicional yorùbá. Lembre-se que a medicina Tradicional também trata de males da saúde e não apenas questões espirituais. Esses conhecimentos, como será exemplificado a seguir, muitas vezes estão diretamente ligados a vivência, herança familiar, conhecimento ancestral e outras vezes, quando mais profundos, diretamente ligados ao Orisa Osanyin.



Há dentro do culto uma categorização dos membros ligados ao culto de Osanyin:



Omo Elewe: Nome pelo qual são conhecidas as vendedoras e coletoras de ervas e raizes nos mercados tradicionais, normalmente são anciãs, que possuem um grande conhecimento das propriedades medicinais das ervas , cascas e raizes.



Ajawe: nome pelo qual são conhecidos os alfas, sábios e detentores do conhecimento acerca do Islã ancestral, que dominam o Derb-Er-Ram, as figuras geomânticas, suas corretas utilizações, os encantamentos feitos na areia e o preparo de poções mágicas medicinais, baseadas nessas tradições.



Onisegun: portador dos segredos da medicina tradicional e do uso da maioria dos elementos físicos presentes na floresta, porém por vezes pode ser adepto de outras religiões, e não ser treinado e versado no conhecimento magístico necessário para entrar em contato com o mundo espiritual e as possibilidades presentes deste universo. Os antigos sacerdotes de Osanyin costumam se referir aos Onisegun como awon to le gbo sugbon won le bere, ou seja, aquele que escuta, no entanto não são capazes de perguntar, devido a falta de capacitação em se comunicar com os fenômenos sobrenaturais.



Uma pequena pausa aqui é necessária. Muitos de nós brasileiros temos conosco a fé no sobrenatural e no oculto, aquilo que os nossos mais velhos nos relatavam em histórias empolgantes que fez com que muitos de nós nos apaixonássemos, do que parecia ser o verdadeiro elo com os Òrìsà e com o sagrado. Quanto mais nos urbanizamos, quanto mais nos distanciamos dos pés descalços, da floresta, mais esses fenômenos se tornam raros aos que não compreendem o que de fato é sagrado, que somos na verdade uma extensão da própria natureza e é nela que há todos os poderes, se nos distanciamos da natureza, do simples, do que para muitos é primitivo, perdemos essa conexão e é justamente isso que os portadores do segredo de Osanyin zelam em guardar. Aqui podemos lembrar daquele ditado: O rio que esquece a sua origem, seca. E é este o movimento que estamos fazendo nos distanciando das nossas origens. Os portadores dos segredos de Osanyin são aqueles que não se perderam de sua origem.



Adahunse: Sacerdotes que se utilizam do seu conhecimento oracular, juntamente com o estudo litúrgico, mágico e medicinal das ervas, cascas e raizes. Analisando em contato com o sagrado, cada caso individualmente, prescrevendo assim a correta medicina que possibilitará a solução de um determinado mal, que pode ser físico, espiritual ou de ambas origens.



Um Adahunse pode ser um Babalawo, um Olorisa Elerindilogun, ou seja um Olorisa versado no conhecimento sagrado do Erindilogun, um Oloje ou um Ajana Elewe, sacerdote de Oro com intensa vivência do mais profundo e sombrio da floresta.



Olosanyin: Sacerdote INICIADO nos segredos de Osanyin , que é versado na utilização e ativação de todos os elementos presentes da floresta, entrando em contato com Osanyin através de uma consulta oracular, todas as vezes que necessita de auxilio na prescrição dos mais variados tratamentos mágicos medicinais aos seus clientes.



Asawo Soogun ou Oloogun: Sacerdote avançado dentro dos segredos pertinentes a Tradição de Osanyin, capaz de entender como nenhum dos outros acima ninguém a linguagem da floresta e de todos os seres espirituais que co-habitam com Osanyin dentro da mesma. Eles dominam com supremacia os segredos do Aye (irona) espaço supra sensível que se encontra no meio entre o Orun e o Aye e que e habitado por Ibeji, Egbe, Egungun, Oso, Iyami, Aaja, Aroni dentre outros seres dotados de grande força e poder espiritual, possuindo conhecimento suficiente para entrar e sair desse espaço, entrando em contato com essas divindades nos momentos que o mesmo julga necessário.



Se você for mulher, deve estar se perguntando agora: Aonde está a participação das mulheres no corpo sacerdotal de Osanyin?





Há sim mulheres na Nigéria que manipulam Osanyin e que passam por todos os rituais, mas aqueles que estiveram em terras yorùbá e passaram por períodos mais longos dentro de comunidades, puderam observar de perto e perceber que essas mulheres que pertencem a Tradição de Osanyin, sempre são mulheres anciãs, e normalmente também são anciãs também dentro do Culto a Iyami, que diferente do que muitos afirmam, não se restringe apenas aos Ipese (apaziguamento de Iyami). Elas são as sábias, respeitadas e temidas dentro das comunidades.



Existe uma explicação dada dentro da religião pelos mais antigos: Dentro da Religião Tradicional a regra menstrual é um dos maiores tabus, pois é dito que neste período a mulher se aproxima ao máximo da energia negativa de Iyami Aje, e ao encontrar-se nessa situação energética, como a mesma, não deve preparar medicinas de cura, transformação ou prosperidade. Sendo assim as mulheres que são iniciadas nos segredos, são apenas aquelas que já chegaram ao climatério.



Permaneceremos na dúvida das verdadeiras origens dessas tradições excludentes das mulheres mais novas. Há muitas suposições sobre o medo da sedução e do poder que as mulheres exercem pelos homens, sobre influência islâmica/cristã ou até mesmo pelo fato das mulheres agirem muito mais pela emoção do que pela razão.



SÍMBOLOS PERTENCENTES AO CULTO DE OSANYIN



No Candomblé, onde todos os Orisa se unem em uma grande celebração coletiva e não foram formados especialistas que tiveram vivência com verdadeiros especialistas, muitos símbolos perderam-se ou foram ressignificados de maneiras equivocadas, o culto a Osaniyn é dos que os seus símbolos são ainda mais desconhecidos.



Opa Osanyin: Semelhante ao Opa Oosun dos Babalawos, porém com funções diferentes. Pode possuir um pássaro central ou mais e faz referência a estreita relação de Osanyin com Iyami Osoronga. Protegendo o iniciado de ações maléficas de feiticeiras, do ódio, desequilíbrio, assim como protegendo a mente do iniciado impedindo que o mesmo perca a sanidade ao lidar com seres espirituais das mais diversas origens.



Ere Eniyan Alagbara: Imagem de um homem ou de uma mulher, talhados em uma madeira especifica, e que representa o sacerdote de Osanyin, aumentando pouco a pouco a força espiritual do mesmo e a possibilidade de entrar em contato com o sagrado. Nos dias de hoje, essa escultura é responsável por um dos maiores erros referentes a Osanyin. Como muitas vezes os anciãos da comunidade já faleceram, há herdeiros, que sem o mínimo valor ao sagrado, vendem a preço de ouro aquilo que era cultuado por seus maiores. Como muitas mulheres cultuadoras de Osanyin possuíam sua representação feminina, essas esculturas foram vendidas como sendo um Osanyin feminino, trazendo inverdades, confusões e invenções, causando inúmeros problemas para a Tradição. Muitos dos problemas e enganos são causados por aqueles que em busca de poder acabam comprando algo sem terem a menor noção do que venha a ser.



Eru Osanyin ou Iranse Osanyin: Escravo ou mensageiro de Osanyin, é representado por uma escultura de madeira, muitas vezes vestida de mariwo, encarregada das mais diversas funções por encargo ou por comando do Oloogun: buscando clientes; realizando sanações a longa distância; castigando e punindo inimigos; e podendo até mesmo, levar os mesmos à morte.



Ado Osanyin ati Eleye: Trata-se de uma cabaça mágica medicinal, diretamente ligada a Iyami Eleye, funciona como radar, protegendo o Oloogun tanto da magia contagiosa, como do retorno da mesma, dando força no momento da preparação de encantamentos maléficos e outros preparados com a finalidade de eliminar, inimigos, concorrências e outras situações em que se torna necessário o uso dentro do segredo.



Ikoko ni Osanyin, ou Igba Osanyin: Assentamento que possui em seu interior, todos os elementos e espiritualidades presentes na floresta, assim como outros elementos secretos que pertence apenas aos membros da Tadição. O Ikoko ni Osanyin ou Igba Osanyin permite para aqueles que o possuem, entre em contato com toda essa espiritualidade podendo assim realizar toda a ritualística intrínseca à Tradição.



Os igba de Osanyin da disáspora brasileira, em 99,9% dos casos, são totalmente diferentes da verdadeira Tradição de Osanyin.


A intenção deste texto é informativa, escritas com base na vivência em terras yorùbá, assim como do conhecimento adquirido através do tempo de sacerdócio.


Os segredos pertencem aos iniciados, os segredos pertencem aqueles que possuem equilíbrio, o poder pertence aos sábios. Quando segredos, mesmo que mínimos, começam a chegar aos ouvidos impróprios, o segredo míngua dentro da sua própria força.


Dando continuidade sobre Osanyin, os próximos textos tratarão de medicinas e magias, no intuito que todos possam compreender e não serem enganados pelos mercenários que existem em todos os 4 cantos do mundo.


- O que são?

- Quais são?

- Quando são necessárias?

- Validade/tempo de poder

- Erros comuns.


Se você acredita que este texto pode fazer a diferença na vida das pessoas do seu meio: compartilhe! Se você acredita que ele pode fazer a diferença para alguém em específico: encaminhe para essa pessoa!


Ọ̀nà’ re o - (Um bom caminho para você)


Ìyá Ṣọlà Ẹgbẹ́kẹ́mi

Instagram: https://instagram.com/ifasola_egbekemi?r=nametag

Whatsapp p/ agenda de consultas (61) 98117 4614


Oluwo Sérgio Borges

Facebook: https://www.facebook.com/baba.oloogun.oogunlade


** Todas as imagens são apenas ilustrativas.


**** Este texto está protegido pelas leis autorais. É proibido divulgar em qualquer meio ou mídia sem a devida citação da fonte e dos autores, com penas estabelecidas pela LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.