A gente nas redes

Assentamentos dentro de casa

13.07.2015

 

Uma das maiores mudanças do Candomblé para o Culto Yorubano foi levar o Orixá, no caso os assentamentos , para dentro de casa.

 

Confesso que no começo fiquei com  medo, em função da quantidade de energia que estava levando para dentro de casa, justamente porque tem toda aquela história que a gente escuta que alguns orixás não podem ficar no mesmo ambiente, que eles não gostam de ser incomodados  e assim por diante.

 

No Culto Tradicional Yoruba não funciona assim. Vou explicar, pois como a maioria das coisas relacionadas à magia o segredo está na lógica. 

 

Aprendemos que os nossos assentamentos são um dos nossos canais diretos de comunicação com os Orixás. Que os orixás são energias divinas da natureza que estão em aiyé para nos beneficiar, e finalmente que Orixá precisa de culto diário para que a energia dele se mantenha latente naquele assentamento. 

 

Vamos agora voltar há um pouco mais de 100 anos, e vamos nos lembrar que nenhum  culto além do católico era aceito no Brasil. Vamos lembrar que muitos escravos récem libertos não tinham casa e precisavam de um lugar para deixar os seus assentamentos, sendo assim, eles não tinham para onde levar e por isso deixavam no ilê. Muitos anos se passaram e graças a Deus temos as nossas casas.

 

Uma das funções dos orixás é cuidar da nossa família, e portanto não há lugar melhor no mundo do que a nossa casa.  É assim na África, por qual motivo manteríamos os assentamentos longe de nós?

 

Hoje é a minha família reunida que dá osé em nossos assentamentos. Preparamos as folhas sagradas em casa. Muitas vezes trazidas do Templo, pois eu moro em apartamento, ou quando há uma irmã maravilhosa, como eu tenho, que tem muitas folhas em casa, e que me dá um pouquinho com todo o carinho do mundo. Banho fresquinho, com as folhas certas e cheio de axé para dar o osé. Um ritual simples mas cheio de significado, de contato, carinho e proximidade com o sagrado. A foto do post foi tirada hoje de manhã cedinho, enquanto preparávamos as folhas, até a minha filha de 04 anos participou, é importante inserirmos as crianças em nossa fé, para que elas comecem a entender desde cedo e que eles deem continuidade.

 

A ritualística em obrigações específicas são feitas sempre pela figura do Bàbálòrisá/Ìyálòrisá , basta apenas levarmos os assentamentos para o Templo na data correta e depois trazermos novamente para casa.

 

Todas as manhãs, ao acordarmos, saudamos nossos orixás, pedimos as bençãos e a proteção necessária para mais um dia, alí diante dos assentamentos.  A minha filha mais velha de 11 anos, já conversa com Oxum , diz Mojubá todos os dias diante dos assentamentos e começou a ter mais interesse em aprender. A mais nova conversa com Exú como se fosse brother dela, uma graça!  Eu e meu marido cultuamos juntos os mesmo ibás, pois não há nada que nos convença que um orixá possa nos fazer algum mal, por cuidarmos, tocarmos e cultuarmos juntos, o nosso sagrado.

 

 

Adupé, Fê Aguiar

 

 

 

 

 

 

Please reload

Posts Recentes

18.04.2019

Please reload