• Ìyá Ṣọlà

ÒJÌJI - A sua sombra como parte de você

Este texto é para você que fez um acerto consigo mesmo e compreendeu que para conhecer o bem-estar nesta vida é preciso encontrar-se primeiro. Este texto é para você que escolheu como alicerce a Filosofia Tradicional Yorùbá.


Hoje eu gostaria de propor que você lavasse os seus olhos e estivesse pronto para se ver. Como um momento em que você se olha no espelho, no centro e no fundo dos seus olhos e consegue se encarar por no mínimo 3 minutos.


Quem de fato você é?

Sem floreios. Sem os seus pais te dizendo quem você é.

Sem o quem você gostaria de ser. Quem é você nu? Sem pressão e sem expectativas. Como é a sua sombra?


Não me orgulho da minha, mas ela me ensina tanto sobre mim e me ensina a subir cada degrau de mansinho, que aprendi a abraçá-la.


Sombra em Yorùbá é Òjìji, é possível encontrar esse termo dentro do conteúdo de alguns autores quando explicam sobre a constituição ou CONCEITO DE PESSOA NA CULTURA YORÙBÁ, alguns desses autores citam Òjìji, outros não, mas os que citam não se aprofundam em sua complexidade.


O conceito de constituição de pessoa Yorùbá é variável e depende do autor, mas ele pode ser constituído por:


ARA - Corpo OKAN - Coração

ORÍ - Cabeça

ELÉÈDÁ - O destino/O criador

IPÒRÍ - O nosso eu originário, que pode estar ligado a ancestralidade e a placenta - Me aprofundarei neste posteriormente.

ÈMÍ - O sopro divino de Eledumare que dá vida ao corpo e Orí dos seres humanos em Àyé.

ÌWÁ - O caráter

ÒJÌJI - A sombra.

ELENINI - A divindade dos obstáculos.


Se trouxermos o conceito de sombra dentro de outras vertentes espiritualistas, e orientarmos esse conceito com parâmetros de valores da filosofia Yorùbá, creio que chegaremos em um possível denominador. Portanto venha comigo parafrasear.


Quem é ou como é a SUA sombra?


Você consegue abraçá-la ou a rejeita?


Pare e pense um pouco, sobre aquela pessoa que você não gosta gratuitamente. Coisas de outras vidas? Será?


O que há em comum entre as pessoas que você rejeita?


O que posso te dizer, como alguém que trilhou esse caminho é que vai haver o dia em que você compreenderá que tudo o que você julga ou rejeita no outro, na verdade faz parte de você.


Uma pequena parte do seu Orí, que é também constituída pelo seu consciente e inconsciente nega a sua sombra, e não estou falando de Elinini.


Lembre-se que Elinini é o seu inimigo oculto, os obstáculos - muitas vezes internos - que impedem ou atrapalham você de cumprir com a sua missão nesta vida.


Òjìji é a parte de você mesmo, nata, que inconscientemente você julga como inapropriada. Esse julgamento é direcionado por valores morais e éticos.


Adoro exemplos, vamos de exemplos:


É comum ouvir homens dizendo: "Fulado é muito preguiçoso!", "Beltrano é um vida mansa, descansado!". Homens falam isso muitas vezes com um certo tom de raiva. É importante lembrar que os padrões sociais impõem que homens sempre devam ser trabalhadores e procriadores. O último, ainda vive no inconsciente coletivo. O que quero dizer é que uma pessoa que diz ter pavor de gente "descansada", pode ser justamente aí que mora parte da sombra.


Também ouvimos discursos e ações de puro ódio contra os homossexuais. Tanto ódio pode revelar justamente a rejeição de um desejo. Ser homosexual não é o problema, a questão é rejeitar e odiar.


Assim como também é muito comum entre nós mulheres repelir e falar mal de outras de nós que possuam uma expressão da sexualidade mais ativa. Claro que sim! Pois a sociedade ensina que esse tipo de mulher é inapropriada. Na minha opinião elas apenas conhecem o seu poder de sedução e o usam ao seu favor. Quem rejeita esse seu próprio lado, que todas nós temos, julga, rotula e na verdade aprisiona parte integrante de si. Afinal de contas, boas esposas são recatadas, do lar e assexuadas.


Por mais que sejamos pessoas livres internamente e bem resolvidas, ainda vivemos numa sociedade cheia de regras. Não estou dizendo para ninguém liberar geral a sua própria sombra, mas de encará-la e conhecê-la.


Muitos de nós chama os outros de mentirosos e não titubeia na oportunidade de contar uma pequena mentirinha, mas não se vê e nem se enxerga como um mentiroso. Muitos de nós odeia os opressores, mas na primeira oportunidade que tem, se torna um deles.


Talvez e bem talvez, esse texto possa não estar fazendo sentido para você, de estar aqui numa página que fala sobre Religião Tradicional Yorùbá, mas há um objetivo. A Filosofia Yorùbá é rica e completa, e arrisco a dizer que é uma das mais lindas do mundo. O Ifá nos chama para um processo de autoconhecimento, e uma pessoa que não conhece e/ou abraça a própria sombra, não chegará perto de saber de fato quem é.


Parte de você idealiza o seu EU. Leia novamente: Parte de você idealiza o seu EU. Raras pessoas de fato têm coragem de soltar-se desse ideal imaginário e observar a própria verdade sobre si. A verdade é que a maioria das pessoas acreditam ser pessoas boas e não o são. Justamente porque criaram para si mesmo um personagem.


Muitos de nós descobriremos que somos sem caráter, vitimistas, covardes, mentirosos, preguiçosos, manipuladores, tóxicos, fracos, fúteis, aproveitadores, soberbos, ladrões, deliciosamente libertinos - desculpe enfatizar isso, mas detesto falso moralismo com relação ao sexo - e etc. Quando isso acontecer, quando você tiver coragem de se ver e observar, você tomará consciência de que REJEITAR É NÃO OLHAR, E NÃO OLHAR É SER CEGO. No entanto, isso precisa ser visto, compreendido , policiado e trabalhado, e dependendo da parte da sombra, contido e de fato não manifestado, pois o importante é que você se conheça e não se esconda de si.


Se somos seres humanos, temos sombra.


Para que uma pessoa abrace a sua própria sombra, ela pode fazer isso sozinha, o que é um processo muito mais difícil, pois todos nós somos tendenciosos, adoramos nos justificar para tudo e mentir para nós mesmos.


Ter um bom Orientador(a)/ Sacerdote(isa), que você confia, que saiba identificar a sombra através do oráculo e não do achismo, pode ajudar, mas você precisa estar pronto para ouvir.


Aos que possuem condições financeiras e tempo, sempre oriento a procurar um profissional de psicologia.


Obviamente todo o conceito de pessoa Yorùbá tem notas da modernidade, mas até mesmo as tradições precisam se atualizar das necessidades atuais. É impossível que tenhamos ou sejamos pessoas melhores se não passarmos por esse processo de autoconhecimento. No dia em que nos conhecermos, estaremos prontos para lutar. Vai ser necessário coragem, boa vontade, paciência, mas se você conhecer a sua sombra você avançará no seu movimento interior e vencerá seus inimigos internos, e como diz bem o provérbio Yorùbá, depois de vencê-los, você já será vitorioso. Quer começar?

Comece pela coragem de aceitar que você não é quem diz ser.


Se você acredita que este texto pode fazer a diferença na vida das pessoas do seu meio: compartilhe! Se você acredita que ele pode fazer a diferença para alguém em específico: encaminhe para essa pessoa! Um coração agradecido é sempre maior.

Ọ̀nà’ re o - (Um bom caminho para você)

Ìyá Ṣọlà Ẹgbẹ́kẹ́mi

Facebook:https://www.facebook.com/ifasola.sowunmi.9/

Instagram: https://instagram.com/ifasola_egbekemi?r=nametag

E-mail: contato.ifasola@gmail.com

Whatsapp p/ agenda de consultas (61) 98117 4614



BANNER LATERAL.jpg